Entenda os diferentes tipos de discos

25 de dezembro de 2018

Quando o assunto são os discos, existem vários tipos. Você sabe quais são e para quê serve cada um deles? Para começar, vamos separar quantos aos nomes que estes são comumente denominados. São três: disco de corte, disco de lixamento e disco de desbaste. Agora, vamos conhecer um pouco mais especificamente sobre cada um deles, assim como boas práticas para manusear um esmeril.

Discos de corte

Os discos de corte são, também, chamados de discos diamantados e tem como principal função, como o próprio nome sugere, o corte de materiais em geral. São utilizados em toda obra, tanto em reforma como em construção. Entre os 3 tipos, é seguro afirmar que o disco de corte é o mais utilizado, pois é um item importante para a manipulação primária de peças. Os outros dois são mais para acabamento, como desbaste e lixamento de superfícies.

Os discos de corte também podem ser divididos em inúmeros outros grupos, dependendo do material que é feito o disco, da forma do disco, entre muitas outras variáveis. Uma dessas subdivisões é quanto às bandas do disco que podem ser turbo, segmentada ou contínua.

Banda de corte contínua

É o modelo recomendado para cortar pisos, azulejos, mármores e porcelanatos em geral. Além disso, pode ser utilizado para corte em revestimentos cerâmicos, sem que ocorra o lascamento do material.

Banda de corte turbo

São os modelos mais robustos e indicados para cortes em materiais como reboco, tijolo, concreto e basalto. Tais materiais não requerem acabamento em superfície lisa com alto detalhe, mas não devem apresentar rebarbas em excesso.

Banda de corte segmentada

É o mais indicado para trabalhos em materiais brutos que não precisam bom acabamento, sobrando assim rebarbas. A segmentação é para auxiliar a refrigeração, mas, por outro lado, aumenta a quantidade de imperfeições, ou seja, rebarbas. É muito utilizado em concreto e tijolo.

Disco de lixamento

Outro nome muito comum para o disco de lixamento é disco flap. O disco flap é praticamente uma lixa. Sua composição é uma base plástica, geralmente feita de nylon ou fibra. A aplicação do disco de lixamento é bem ampla, mas muito focada em acabamento. Alguns exemplos de sua utilização são remoção de tintas, soldas e ferrugens de superfícies em geral.

Assim como o disco de corte, também tem subdivisões que podem ser quanto ao seu formato ou quanto à sua composição. Os formatos mais comuns são os cônicos e os retos. O primeiro é usado para contornos ou bordas e o segundo para superfícies planas. Quanto à composição, pode ser cerâmico, zircônio ou alumínio, que são os mais requisitados.

Disco de desbaste

Os discos de desbaste têm como principal objetivo a retirada de excesso, ou seja, rebarbas dos objetos. Não é um disco fundamental para realizar um trabalho rotineiro, mas é um disco essencial para a realização de um trabalho profissional e de qualidade. Isso porque a função é deixar o acabamento melhor, sem sobras. Além de desbastar os materiais, é também utilizado para remoção de defeitos em superfície.

Os discos de desbaste variam, principalmente, quanto ao material, espessura e tamanho. Alguns são mais indicados para metais como alumínio, enquanto outros são para ferro. Para isso, é preciso conhecer a atividade a ser realizada antes de adquiri-los.

Descobriu qual disco precisava comprar? Compreendeu a função de cada um deles? É importante usar alguns equipamentos de segurança quando manuseando aparelhos como a esmerilhadeira, como botas, luvas e óculos. Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, deixe-a nos comentários!

Relacionados