Polimento e enceramento: qual a diferença?

24 de julho de 2019

Polimento e enceramento são duas coisas completamente diferentes, porém, essas duas funções são muito confundidas pela maioria das pessoas. Assim, vamos dar uma breve esclarecida no que é um e o que é outro, bem como suas funções e benesses.

 

O que é enceramento

O enceramento visa proteger a pintura, algumas ceras que tem abrasivos em sua fórmula conseguem disfarçar minúsculos riscos ou imperfeições da lataria.

A cera não tem o poder de revitalizar a pintura, ela simplesmente ajuda, se aplicada corretamente, a adicionar profundidade, brilho e proteção à pintura.

Cera sintética e selante sintético são a mesma coisa e consistem em uma cera totalmente produzida em laboratório, que é encontrada na forma líquida ou em pasta.

Resta dizer que há a necessidade de enceramento após o polimento, para que esta devolva a camada protetora de verniz que o polimento retira. O enceramento também é aconselhável, porém não necessário, a cada lavagem.

 

O que é polimento

O polimento, por sua vez, visa restaurar a pintura. É um tratamento abrasivo, que elimina riscos, marcas de chuva ácida, de fezes de pássaros ou outras marcas provenientes de pequenos incidentes.

Importante saber que o polimento retira uma ou várias camadas da pintura, dependendo do tipo usado e da necessidade de reparação do dano da mesma.

Ele deve ser feito por um profissional qualificado para saber qual o aprofundamento do dano, para que possa fazer o polimento adequado sem retirar camadas a mais da pintura, causando um dano ainda maior.

O polimento não deve ser feito com muita frequência, e sim apenas quando se fizer necessário, ou no máximo uma vez ao ano, sempre por profissionais especializados.

Existem vários tipos de polimento, vamos falar um pouco sobre cada um deles, esclarecendo algumas dúvidas existentes.

Polimento simples:

Como o próprio nome já diz é o mais simples de todos e tem a função de uniformizar o verniz, eliminar minúsculos riscos ou manchas de sol.

É ideal para pinturas novas e indicado que se faça após 30 dias da pintura para eliminar manchas ou dar brilho.

Para essa técnica, é usada uma boina de espuma, em alguns e raros casos podem ser usadas uma lixa muito fina, apenas para deixar a superfície mais lisa.

Polimento técnico:

Essa técnica é um pouco mais agressiva e profunda, portanto, mais complexa. Vários tipos de boinas e materiais específicos como lixas e politrizes são usados no processo, há a necessidade de um conhecimento profundo sobre o assunto e, muitas vezes, até equipamentos adequados para se medir a profundidade do dano.

Ela elimina riscos mais profundos, o efeito casca de laranja (quando por algum motivo a pintura se torne grossa ou enrugada), sol intenso, fezes de pássaros,  e, junto com eles, o verniz da pintura.

Por isso mesmo deve-se tomar muito cuidado com o profissional que irá executar o serviço, pois, se for descuidado, pode ser retirada a pintura total de algumas partes ou causar vincos e curvas na lataria.

O polimento técnico deve ser feito apenas em casos muito necessários, no máximo três vezes em toda a vida útil da superfície.

Veja: Principais técnicas de polimento automotivo

 

Cristalização ou espelhamento:

Após o polimento, a lataria fica muito brilhante, porém, após a lavagem, que é feita ainda no processo de polimento, sairá toda a gordura e querosene usado no polimento, e o carro ficará opaco.

Nessa etapa, será feito o espelhamento ou cristalização, que consiste em recuperar o brilho da pintura, através de produtos e materiais adequados. Nesse processo é aplicada a resina protetora e não a cera de polimento.

A cristalização diferentemente do polimento pode ser feita anualmente, pois ela independe do polimento técnico para ser aplicada, porém o polimento não pode ser feito sem a cristalização.

Relacionados